Tubarão em estado de alerta: “Estamos internando pacientes nas unidades de pronto-atendimento por falta de leitos nas enfermarias e quartos dos hospitais”, diz comunicado

O Comitê Consultivo de Combate à Covid-19 de Tubarão, composto por entidades que integram os sistemas público e privado de assistência à saúde do município, emitiu um comunicado de alerta à população da cidade e demais municípios da região da Amurel, que também dependem da assistência médico-hospitalar da Cidade Azul.

"Vivemos um período crítico de avanço muito rápido da doença na cidade. Os sistemas de saúde público e privados passam por um momento grave com sobrecarga dos pronto-atendimentos e com disponibilidade de leitos chegando ao seu limite. Nossas UTIs estão lotadas, bem como as enfermarias. Estamos internando pacientes nas unidades de pronto-atendimento por falta de leitos nas enfermarias e quartos dos hospitais. Nossos profissionais de saúde estão sobrecarregados e adoecendo também", diz um trecho do documento publicado.

O comunicado também pede união e empatia em prol da saúde e da vida. "Se o comportamento de cada cidadão não mudar, os casos de contaminação e morte baterão nas portas das residências da cidade e deixarão marcas em todas as nossas famílias, sem distinção", destaca.

Desta forma, as entidades que assinaram o manifesto estão pedindo à população em geral - pessoa por pessoa - que, de forma consciente e responsável, siga rigorosamente as medidas de prevenção e cuidados para o controle da doença:

1. Sempre que puder, fique em casa.
2. Se precisar sair, use a máscara de forma correta durante todo o tempo de permanência na rua ou em locais públicos.
3. Lave constantemente as mãos e use álcool 70%.
4. Mantenha o distanciamento social.
5. Não entre em locais com muita gente, inclusive supermercados.
6. Evite qualquer tipo de aglomeração, especialmente em frente a bares. O mesmo serve para reuniões em casa com grupos de amigos. Agora é hora de contribuir para a saúde coletiva.
7. Só frequente lugares que estejam adotando as medidas sanitárias exigidas, como uso de álcool 70%, uso de máscaras, distanciamento social, ambiente ventilado e lotação reduzida.
8. Se sentir qualquer sintoma da doença, procure o posto de Saúde mais próximo ou atendimento médico. Caso não sejam sintomas graves, fique em isolamento total em casa.
9. Se realizar qualquer teste da doença, aguarde o resultado em isolamento total em casa.
10. Se for diagnosticado com a doença, cumpra integralmente todo o período de isolamento, mesmo quando os sintomas melhorarem.

Segundo o ofício do Comitê, a pandemia voltou a níveis preocupantes por conta do relaxamento dos cuidados praticados pela população. "O principal motivo do avanço da doença foi o relaxamento no comportamento das pessoas em relação às medidas de prevenção amplamente divulgadas. As pessoas perderam o medo da doença. Muitas pessoas não se importam em contaminar outras pessoas, contanto que se sintam bem".

"Não espere pela vacina para o controle da doença. Mesmo quando ela chegar, não garantirá a imunização de 100% da população. Só o seu comportamento responsável é capaz de controlar o avanço acelerado da COVID-19. E esta não é a “segunda onda” da doença no Brasil, ainda nem saímos da primeira. Se você já passou pela doença ou conhece alguém próximo que já foi contaminado ou que, infelizmente, chegou a falecer nos ajude a conscientizar as pessoas para que cada um assuma a sua responsabilidade e o seu protagonismo no combate à COVID-19", finaliza o manifesto.