Sábado, 22 de Junho de 2024
JORNALISMO COM
RESPONSABILIDADE
Layer 2
This is an empty menu. Please make sure your menu has items.

Eleições 2024: Soratto e Deka May; Progressistas e Carlos Moisés e PT sem protagonismo

Leia também: Pepê Collaço articulando; impasse no MDB; Luciano Menezes nos bastidores; e chapas pré-definidas em Capivari de Baixo.
Lucas Vieira

21 de maio de 2024

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter

As negociações para as Eleições 2024 estão cada vez mais intensas.

Em Tubarão, por exemplo, muito se fala em qual será o partido que indicará o vice de Estêner Soratto, do PL, que é visto por muitos como favorito ao Executivo Municipal.

Mas, será que Soratto quer mesmo ter um vice de outra sigla?

PL e MDB

Tempos atrás, lembremos, a coligação com o MDB estava praticamente fechada. À época, o partido sinalizava a filiação do empresário Luciano Menezes, o que não aconteceu.

Desde então, seja Joma ou Tancredo, ao que parece, Soratto não demonstra interesse para uma eventual composição com o MDB.

PL e PSD

Por outro lado, coincidência ou não, o PL avançou nas conversas com o PSD após a chegada de Luciano à sigla, que também tem Denis Matiola como pré-candidato à majoritária.

Entretanto, me parece improvável que Luciano Menezes deixe a administração de suas empresas para ser candidato. Sua paixão por Tubarão é inquestionável. Como sempre fez, quer continuar ajudando a cidade. Porém, acredito que essa ajuda será nos bastidores.

Sendo assim, em eventual coligação com o PSD, o PL teria como vice Denis Matiola. O vereador foi oposição consciente na atual legislatura. Reputação inquestionável. Plausível. Também empresário de sucesso. Referência.

Mas, ainda não parece ser o que Soratto deseja.

DEKA MAY

Isso porque, agora, surge a possibilidade de seu vice ser Deka May, do União Brasil, que dias atrás ocupava a chefia da Fundação Municipal de Assistência Social da Cidade Azul.

Com vasta experiência na política, Deka May é visto com bons olhos pela população.

Diferente dos outros nomes cogitados, Deka é mais quieto, na dele. Não costuma interferir ou se opor às decisões alheias.

Seria esse o perfil que Soratto busca?

CARLOS MOISÉS ESTÁ DE VOLTA

Agora, e o Progressistas?

Sem qualquer nome forte para indicar à majoritária, Pepê Collaço conseguiu fazer com que o partido retornasse ao cenário com a filiação de Jean Abreu Machado.

Nome extremamente respeitado e com forte atuação política, imediatamente, Jean se tornou pré-candidato a prefeito de Tubarão com uma excelente aceitação dos eleitores.

Nas enquetes realizadas, sempre aparece no ranking. Deixando muitos nomes “importantes” para trás.

Agora, dizem as boas línguas que Pepê articula uma aliança com Carlos Moisés. Ele mesmo, o ex-governador, que atualmente é presidente do Republicanos.

Pode ser que seja para uma composição de chapa. Moisés e Jean ou Jean e Moisés.

Só não dá para descartar a filiação de Moisés ao Progressistas.

O ENFRAQUECIMENTO DO REPUBLICANOS

Moisés nunca descartou ou negou sua vontade de ser prefeito de Tubarão. Ao contrário, sempre se mostrou disposto dependendo do cenário.

O Republicanos tem lá seus filiados, mas enfraqueceu.

A vereadora Luciane Tokarski, por exemplo, deixou o partido na janela. Ela vestia a camisa da sigla.

Fato é que o Estado não abraçou Moisés. Prova disso foi a derrota nas últimas eleições. Mas Tubarão, é importante lembrar, tem um carinho especial pelo ex-governador. A soma dos votos que recebeu na cidade não me deixa mentir.

PP E PSDB

O Progressistas também conversa com o PSDB, que tem Carlos Stüpp como pré-candidato.

Gostem ou não, Stüpp tem currículo. Bom ou ruim, vai do ponto de visão de cada um.

É um nome respeitado em uma sigla histórica. Mexe o cenário.

FALTA PROTAGONISMO NO PT

Pelo andar da carruagem, o Partido dos Trabalhadores de Tubarão não deve lançar qualquer candidato para a majoritária.

Embora a promessa tenha sido feita no dia 31 de julho de 2023, quando publicou nota oficial afirmando que não participaria da eleição indireta, mas que teria candidato para o pleito de 2024, a indicação não deve se confirmar.

Olávio Falchetti e Professor Paulão estão entre os nomes cogitados, mas nenhum deles pretende enfrentar esse desgaste.

No atual cenário, uma vitória do PT para o Paço Municipal é praticamente improvável. O partido sabe disso.

No entanto, existe uma parcela da população e até mesmo os filiados, que ficarão sem saber em quem votar ou apoiar nas eleições.

Os trabalhos serão concentrados somente para tentar preencher uma vaga na Câmara Municipal.

Lamentável. Aos poucos, com a falta de protagonismo do partido, inclusive, em ser oposição, a sigla vai se apagando na cidade.

BOMBA

Nos bastidores, dizem que até sábado, dia 25, uma bomba deve estourar na política de Tubarão. Algo que vai movimentar e muito o pleito de outubro.

Fato é que tudo o que se fala por agora é surpreendente. Algumas coisas se confirmam, outras não. Nem por isso significa que não são reais.

DÚVIDAS PERTINENTES  

Dizem que o mundo é movido por perguntas e não por respostas. Mas eu bem que gostaria de saber:

Soratto disse que não conversaria com o PP (partido de Joares Ponticelli) em razão dos acontecimentos da Operação Mensageiro, mas conversa com o União Brasil (partido de Caio Tokarski). Afinal, ele será oposição ou não?

Denis Matiola, depois de ser oposição, agora, é situação. O que mudou?

Jean saiu do PSD por não ter espaço. Escolheu o PP com a promessa de ser candidato a prefeito. Ele será traído?

Tancredo afirma que a executiva do MDB é quem decidirá o candidato da sigla. Joma busca espaço no partido, mas tem dificuldade. Eles estão no mesmo propósito?

MOVIMENTAÇÕES EM CAPIVARI DE BAIXO

Três chapas devem disputar o Executivo Municipal de Capivari de Baixo no pleito de 2024:

Márcia Roberg (PP) e Adam PG (PSD)
Claudir Bittencourt (PL) e Samira Porto (MDB)
Expedito Michels (Republicanos) e Beatriz Alves (Podemos)

Além do Progressistas e do PSD, Márcia e Adam ainda vão contar com o apoio do PDT, PSDB e PSB.

Claudir e Samira devem ter o Agir36. A sigla, embora desconhecida, tem importantes nomes da Cidade Termelétrica filiados.

O União Brasil perambula. Capaz de fechar com Claudir. E o PT, assim como em Tubarão, não deve indicar um nome para a corrida.

Disputa interessante.

Participe do nosso grupo de WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/IXhqnkE5fa30TJd1Yu8IW7

Nos acompanhe também nas redes sociais: Instagram | Twitter | Facebook

Notícias Relacionadas

Colunistas

Caio
Caio Maximiano
Esporte
Luiz Henrique
Luiz Henrique
Astrologia
Marcele Bressane
Marcela Bressane
Psicologia
Luciellen Lima
Luciellen Lima
Inclusão

Eleições 2024: Soratto e Deka May; Progressistas e Carlos Moisés e PT sem protagonismo

Leia também: Pepê Collaço articulando; impasse no MDB; Luciano Menezes nos bastidores; e chapas pré-definidas em Capivari de Baixo.
Lucas Vieira

21 de maio de 2024

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter

As negociações para as Eleições 2024 estão cada vez mais intensas.

Em Tubarão, por exemplo, muito se fala em qual será o partido que indicará o vice de Estêner Soratto, do PL, que é visto por muitos como favorito ao Executivo Municipal.

Mas, será que Soratto quer mesmo ter um vice de outra sigla?

PL e MDB

Tempos atrás, lembremos, a coligação com o MDB estava praticamente fechada. À época, o partido sinalizava a filiação do empresário Luciano Menezes, o que não aconteceu.

Desde então, seja Joma ou Tancredo, ao que parece, Soratto não demonstra interesse para uma eventual composição com o MDB.

PL e PSD

Por outro lado, coincidência ou não, o PL avançou nas conversas com o PSD após a chegada de Luciano à sigla, que também tem Denis Matiola como pré-candidato à majoritária.

Entretanto, me parece improvável que Luciano Menezes deixe a administração de suas empresas para ser candidato. Sua paixão por Tubarão é inquestionável. Como sempre fez, quer continuar ajudando a cidade. Porém, acredito que essa ajuda será nos bastidores.

Sendo assim, em eventual coligação com o PSD, o PL teria como vice Denis Matiola. O vereador foi oposição consciente na atual legislatura. Reputação inquestionável. Plausível. Também empresário de sucesso. Referência.

Mas, ainda não parece ser o que Soratto deseja.

DEKA MAY

Isso porque, agora, surge a possibilidade de seu vice ser Deka May, do União Brasil, que dias atrás ocupava a chefia da Fundação Municipal de Assistência Social da Cidade Azul.

Com vasta experiência na política, Deka May é visto com bons olhos pela população.

Diferente dos outros nomes cogitados, Deka é mais quieto, na dele. Não costuma interferir ou se opor às decisões alheias.

Seria esse o perfil que Soratto busca?

CARLOS MOISÉS ESTÁ DE VOLTA

Agora, e o Progressistas?

Sem qualquer nome forte para indicar à majoritária, Pepê Collaço conseguiu fazer com que o partido retornasse ao cenário com a filiação de Jean Abreu Machado.

Nome extremamente respeitado e com forte atuação política, imediatamente, Jean se tornou pré-candidato a prefeito de Tubarão com uma excelente aceitação dos eleitores.

Nas enquetes realizadas, sempre aparece no ranking. Deixando muitos nomes “importantes” para trás.

Agora, dizem as boas línguas que Pepê articula uma aliança com Carlos Moisés. Ele mesmo, o ex-governador, que atualmente é presidente do Republicanos.

Pode ser que seja para uma composição de chapa. Moisés e Jean ou Jean e Moisés.

Só não dá para descartar a filiação de Moisés ao Progressistas.

O ENFRAQUECIMENTO DO REPUBLICANOS

Moisés nunca descartou ou negou sua vontade de ser prefeito de Tubarão. Ao contrário, sempre se mostrou disposto dependendo do cenário.

O Republicanos tem lá seus filiados, mas enfraqueceu.

A vereadora Luciane Tokarski, por exemplo, deixou o partido na janela. Ela vestia a camisa da sigla.

Fato é que o Estado não abraçou Moisés. Prova disso foi a derrota nas últimas eleições. Mas Tubarão, é importante lembrar, tem um carinho especial pelo ex-governador. A soma dos votos que recebeu na cidade não me deixa mentir.

PP E PSDB

O Progressistas também conversa com o PSDB, que tem Carlos Stüpp como pré-candidato.

Gostem ou não, Stüpp tem currículo. Bom ou ruim, vai do ponto de visão de cada um.

É um nome respeitado em uma sigla histórica. Mexe o cenário.

FALTA PROTAGONISMO NO PT

Pelo andar da carruagem, o Partido dos Trabalhadores de Tubarão não deve lançar qualquer candidato para a majoritária.

Embora a promessa tenha sido feita no dia 31 de julho de 2023, quando publicou nota oficial afirmando que não participaria da eleição indireta, mas que teria candidato para o pleito de 2024, a indicação não deve se confirmar.

Olávio Falchetti e Professor Paulão estão entre os nomes cogitados, mas nenhum deles pretende enfrentar esse desgaste.

No atual cenário, uma vitória do PT para o Paço Municipal é praticamente improvável. O partido sabe disso.

No entanto, existe uma parcela da população e até mesmo os filiados, que ficarão sem saber em quem votar ou apoiar nas eleições.

Os trabalhos serão concentrados somente para tentar preencher uma vaga na Câmara Municipal.

Lamentável. Aos poucos, com a falta de protagonismo do partido, inclusive, em ser oposição, a sigla vai se apagando na cidade.

BOMBA

Nos bastidores, dizem que até sábado, dia 25, uma bomba deve estourar na política de Tubarão. Algo que vai movimentar e muito o pleito de outubro.

Fato é que tudo o que se fala por agora é surpreendente. Algumas coisas se confirmam, outras não. Nem por isso significa que não são reais.

DÚVIDAS PERTINENTES  

Dizem que o mundo é movido por perguntas e não por respostas. Mas eu bem que gostaria de saber:

Soratto disse que não conversaria com o PP (partido de Joares Ponticelli) em razão dos acontecimentos da Operação Mensageiro, mas conversa com o União Brasil (partido de Caio Tokarski). Afinal, ele será oposição ou não?

Denis Matiola, depois de ser oposição, agora, é situação. O que mudou?

Jean saiu do PSD por não ter espaço. Escolheu o PP com a promessa de ser candidato a prefeito. Ele será traído?

Tancredo afirma que a executiva do MDB é quem decidirá o candidato da sigla. Joma busca espaço no partido, mas tem dificuldade. Eles estão no mesmo propósito?

MOVIMENTAÇÕES EM CAPIVARI DE BAIXO

Três chapas devem disputar o Executivo Municipal de Capivari de Baixo no pleito de 2024:

Márcia Roberg (PP) e Adam PG (PSD)
Claudir Bittencourt (PL) e Samira Porto (MDB)
Expedito Michels (Republicanos) e Beatriz Alves (Podemos)

Além do Progressistas e do PSD, Márcia e Adam ainda vão contar com o apoio do PDT, PSDB e PSB.

Claudir e Samira devem ter o Agir36. A sigla, embora desconhecida, tem importantes nomes da Cidade Termelétrica filiados.

O União Brasil perambula. Capaz de fechar com Claudir. E o PT, assim como em Tubarão, não deve indicar um nome para a corrida.

Disputa interessante.

Participe do nosso grupo de WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/IXhqnkE5fa30TJd1Yu8IW7

Nos acompanhe também nas redes sociais: Instagram | Twitter | Facebook