Quarta-feira, 17 de Abril de 2024
JORNALISMO COM
RESPONSABILIDADE
Layer 2
This is an empty menu. Please make sure your menu has items.

Tubarão poderá ter semana dedicada a ações de combate ao preconceito contra crianças e adolescentes com deficiência

O texto foi aprovado pelos vereadores nesta semana e determina que o Poder Executivo adote iniciativas para prevenir e combater a discriminação contra essa parcela da população.
infosul

21 de fevereiro de 2024

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Foto: Huntstock/Getty Images | Exame

A cidade de Tubarão poderá ter, a partir deste ano, uma semana inteira dedicada a ações de combate ao preconceito e discriminação contra crianças e adolescentes com deficiência.

Isso porque os vereadores da Cidade Azul aprovaram a Redação Final do projeto que institui no Calendário de Datas Comemorativas e de Conscientização do município a “Semana da Criança e Adolescente com Deficiência”.

Pelo texto, caberá ao Poder Executivo, na semana do dia 9 de dezembro, promover ações preventivas que possibilitem a reflexão sobre temas relacionados ao preconceito às pessoas com deficiência, além de estimular, apoiar e desenvolver estudos e diagnósticos sobre a situação, criando mecanismos para que a proposta tenha êxito.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010, o Brasil tem cerca de 45 milhões de pessoas com deficiência. Estima-se que mais de 3,9 milhões são crianças de 0 a 14 anos.

“Muitas vezes, estas crianças estão em vulnerabilidade e são menos propensas a frequentar uma escola ou acessar serviços médicos. Suas vozes pouco são ouvidas na sociedade. Infelizmente, essas condições também os colocam em maior risco de abuso físico e de exclusão, deixando de receber nutrição adequada ou assistência humanitária em emergências”, justificou José Luiz Tancredo (MDB), autor do projeto.

A proposta já foi analisada pelas comissões de Legislação, Justiça e Redação Final e Defesa e Proteção dos Direitos das Crianças, Adolescentes e Idosos. Ambas asseguraram a constitucionalidade da matéria e deram parecer favorável à tramitação.

Agora, o texto seguirá para sanção – ou não – do prefeito Jairo Cascaes (PSD). Caso seja sancionada, a proposição terá validade imediata, com ações previstas para acontecer já neste ano de 2024.

Participe do nosso grupo de WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/IXhqnkE5fa30TJd1Yu8IW7

Nos acompanhe também nas redes sociais: Instagram | Twitter | Facebook

Notícias Relacionadas

Colunistas

Marcele Bressane
Marcela Bressane
Psicologia
Luciellen Lima
Luciellen Lima
Inclusão
Caio
Caio Maximiano
Esporte
Luiz Henrique
Luiz Henrique
Astrologia

Tubarão poderá ter semana dedicada a ações de combate ao preconceito contra crianças e adolescentes com deficiência

O texto foi aprovado pelos vereadores nesta semana e determina que o Poder Executivo adote iniciativas para prevenir e combater a discriminação contra essa parcela da população.
infosul

21 de fevereiro de 2024

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Foto: Huntstock/Getty Images | Exame

A cidade de Tubarão poderá ter, a partir deste ano, uma semana inteira dedicada a ações de combate ao preconceito e discriminação contra crianças e adolescentes com deficiência.

Isso porque os vereadores da Cidade Azul aprovaram a Redação Final do projeto que institui no Calendário de Datas Comemorativas e de Conscientização do município a “Semana da Criança e Adolescente com Deficiência”.

Pelo texto, caberá ao Poder Executivo, na semana do dia 9 de dezembro, promover ações preventivas que possibilitem a reflexão sobre temas relacionados ao preconceito às pessoas com deficiência, além de estimular, apoiar e desenvolver estudos e diagnósticos sobre a situação, criando mecanismos para que a proposta tenha êxito.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010, o Brasil tem cerca de 45 milhões de pessoas com deficiência. Estima-se que mais de 3,9 milhões são crianças de 0 a 14 anos.

“Muitas vezes, estas crianças estão em vulnerabilidade e são menos propensas a frequentar uma escola ou acessar serviços médicos. Suas vozes pouco são ouvidas na sociedade. Infelizmente, essas condições também os colocam em maior risco de abuso físico e de exclusão, deixando de receber nutrição adequada ou assistência humanitária em emergências”, justificou José Luiz Tancredo (MDB), autor do projeto.

A proposta já foi analisada pelas comissões de Legislação, Justiça e Redação Final e Defesa e Proteção dos Direitos das Crianças, Adolescentes e Idosos. Ambas asseguraram a constitucionalidade da matéria e deram parecer favorável à tramitação.

Agora, o texto seguirá para sanção – ou não – do prefeito Jairo Cascaes (PSD). Caso seja sancionada, a proposição terá validade imediata, com ações previstas para acontecer já neste ano de 2024.

Participe do nosso grupo de WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/IXhqnkE5fa30TJd1Yu8IW7

Nos acompanhe também nas redes sociais: Instagram | Twitter | Facebook