Mortes por coronavírus na região cresceram 121% em novembro

Por Joelson Cardoso

O registro de mortes causadas por complicações da Covid-19 na região subiu 121% em novembro em relação ao mês anterior. Se em outubro foram contabilizados 28 óbitos, em novembro esse número saltou para 62 em toda a Amurel. Desde o início da pandemia na região, em março, 283 pessoas morreram por causa do novo coronavírus.

Tubarão e Laguna são os munícipios que mais perderam pacientes para a doença no mês que se encerrou. Foram registrados 24 e 12 óbitos, respectivamente. Braço do Norte, Imbituba, Capivari de Baixo e Jaguaruna tiveram quatro mortes cada cidade em novembro. Imaruí e Gravatal registraram mais três falecimentos cada.

Treze de Maio, que até então não havia tido nenhuma morte por coronavírus, perdeu o seu primeiro morador para a doença no dia 11 de novembro. Sangão, Armazém e Santa Rosa de Lima tiveram um novo registro cada.

Os meses de julho (com 70 óbitos registrados) e agosto (com 69 registros) são os que mais tiveram mortes por Covid-19 na região.

Por outro lado, as cidades de São Martinho e Rio Fortuna estão há cinco meses sem registrar um novo óbito. Já São Ludgero e Grão-Pará completam quatro meses sem vítimas fatais.

Novembro tem sido marcado pelo repique de casos da doença em todo o país. Além do aumento no número de infectados e de mortes, houve um crescimento de internações e da ocupação de UTIs. Nesta segunda-feira, 30, a Amurel passou a marca de 27,8 mil casos confirmados.

O primeiro óbito por coronavírus na Amurel foi registrado em Pedras Grandes no dia 30 de março. Trata-se de uma idosa de 90 anos. A confirmação dos exames que testaram que ela havia contraído a doença saiu apenas no dia 4 de abril. Por isso, nos boletins oficiais, esse caso é contabilizado em abril.