Marcele Bressane: Ciclos

Imagem: Ilustrativa

No último dia 29 de novembro completei 28 anos. Meu aniversário! Aaa como eu amo fazer aniversário, amo festas, animações e não seria diferente no dia em que nasci. Amo amigos mandando mensagens, família unida. Aquelas coisas lindas e maravilhosas de ser o aniversariante do dia.

Contudo o que mais gosta de aniversários é a esperança. Esperança de momentos melhores, de novos rumos e histórias. Acreditar que tudo pode mudar, que aqueles hábitos que tanto queremos, agora vai dar certo. Esperança, algo que tanto falta para todos nós que já estamos tão desacreditados na vida e cansados de tentar. Fazer aniversário dá esse gás de agora vai.

Terminar um ciclo é tão importante. Os 27 anos me ensinaram muita coisa: a ter paciência, já que não consegui comemorá-lo tanto por estar no meio de uma pandemia. Me ensinou a cultivar os pequenos momentos, já que podem ser os últimos. Me deu uma maturidade enorme para enfrentar vários problemas, me ensinou a ser finalmente solteira, algo que nunca tinha acontecido na minha vida. O ciclo dos 27 foi lindo, cheios de tropeços, mas foi vitorioso. Dará saudades essa volta ao sol.

Contudo, ciclos são feitos para acabar, tem um início, meio e fim. Mesmo que seja tão difícil de aceitar isto, é necessário que aprendamos a lidar com o término das coisas, das histórias, dos sonhos. Para se abrir a novos ciclos, novos momentos. Por exemplo, um ciclo de namoro pode terminar num casamento, não necessariamente um ciclo termina com algo ruim, com brigas e sim para se viver novas oportunidades e vidas.

O ciclo de trabalho, pode ser finalizado com uma promoção, com um novo e melhor emprego. Ou seja, ciclos finalizados são saudáveis. Melhor do que não finalizar e ficarmos presos em movimentos que não fazem mais nem sentido para quem está vivendo-os.

Igual o aniversário, o ciclo de 27 se encerrou, e que bom que encerrou pois está vindo mais um ano. Mais um caminho, mais uma trilha a ser percorrida. Os 28 chegaram, estão vindo com força total, com esperanças, com amores e organizações. Mesmo sabendo que a maioria dos objetivos que estou colocando neste novo ciclo não será realizado, eu sei que será um ciclo bom, um ciclo honesto e que terá seu fim, e tudo bem. Quero meus 29, 40, 80 anos. E se para isso, precisa-se encerrar ciclos, estou dentro.

Assim, olhe para seus ciclos: relacionamento, trabalho, saúde, ideias. E veja a quanto tempo você continua nele, e se faz sentido continuar, se não tem o que melhorar. Se acomodar faz mal, cansa e dói as costas. Mudanças são necessárias e acontecem sem nem percebemos. Comece a se perceber, a perceber suas mudanças e alegrias. Mude de ideias, de crenças. O que acontece num ciclo não é perpétuo. Você pode e deve mudar.

Venha novo ciclo, e que sejas muito feliz. E você, que ciclo novo terá? O que queres deste ciclo? E o que vais fazer para ele ser como queres?