Hercílio Luz sonha com a classificação para a Série D do Brasileiro

Foto: Gustavo Mejía | HLFC

Com a vaga na primeira divisão do Catarinense praticamente garantida, o grande objetivo do Hercílio Luz agora é preencher o calendário do segundo semestre da próxima temporada. A regra para alcançar a Série D do Brasileiro em 2023 é simples, mas a tarefa não é fácil. Dos 12 times que disputam o Estadual deste ano, oito estão na briga pelas três vagas disponíveis para a competição nacional: Barra, Camboriú, Concórdia, Hercílio Luz, Joinville, Juventus, Marcílio Dias e Próspera.

Os times não-divisionados disputam um campeonato entre si. Se classificam para a Série D do Brasileiro as três equipes que fizerem a melhor campanha. O critério se estende até mesmo ao mata-mata da competição. Se o Catarinense terminasse hoje, por exemplo, quatro times sem divisão estariam no mata-mata: Hercílio, Camboriú, Concórdia e Próspera. Os três times que chegassem mais longe no Estadual conquistariam as vagas para a Série D em 2023.

Líder ísolado, o Hercílio Luz encara uma semana decisiva para garantir a sua classificação para as quartas de final do Catarinense Fort Atacadista. O primeiro compromisso é nesta quarta-feira (9), contra o Concórdia, às 19 horas, fora de casa. No domingo (13), às 16 horas, o adversário é o Camboriú, no Aníbal Costa. Ambas as equipes brigam pela parte de cima da tabela.

Classificação para a Série D, em 2018, veio pelo saldo de gols

Em 2018, ano da classificação inédita para Série D, o Hercílio disputava a vaga na Série D com outras quatro equipes: Tubarão, Brusque, Inter de Lages e Concórdia. Terceiro colocado com 26 pontos, o Tubarão foi o primeiro a alcançar a vaga. Com 20 pontos, o sétimo, o Brusque também garantiu sua classificação antecipada. Na última rodada, com o Concórdia já rebaixado, uma única vaga restava entre Inter de Lages e Hercílio.

Com um ponto de vantagem, o Hercílio enfrentou o Criciúma em casa e perdeu pelo placar de 1 a 0. O Inter de Lages empatou em 1 a 1 com o Brusque, no Augusto Bauer, e igualou o número de pontos do Leão do Sul. O saldo de gols definiu o último classificado para a Série D e o rebaixado. Com saldo negativo de sete gols, o Hercílio permaneceu na elite e se classificou para o Brasileiro. Já o Inter, encerrou a competição com saldo negativo de nove gols e acabou sendo rebaixado para a segundona catarinense.

Em sua única participação na história da Série D, em 2019, o Hercílio Luz chegou até a segunda fase da competição. No grupo A14, com Novorizontino-SP, Tupi-MG e Itaboraí-RJ, o Leão do Sul avançou na segunda colocação com 9 pontos. A liderança do grupo ficou com a equipe de Novo Horizonte, que somou 14 pontos.

No mata-mata, o Leão do Sul encarou o Brusque e acabou eliminado. Após empate sem gols no jogo de ida, uma derrota por 2 a 0 no Augusto Bauer decretou a eliminação do time tubaronense. A equipe do Vale do Itajaí terminou a competição com o acesso e o título.

Primeira e única participação do Hercílio na Série D foi em 2019. Na imagem, duelo contra o Itaboraí-RJ. Foto: Divulgação
Primeiro time de Santa Catarina a disputar o Campeonato Brasileiro

Em 103 anos de história, o Hercílio Luz busca apenas a sua terceira participação em competições nacionais. Antes de 2019, a equipe tubaronense acumulava uma única participação, que marcou época no futebol catarinense. Bicampeão do estado (57 e 58), o Leão do Sul foi convidado e se tornou o primeiro time de Santa Catarina a disputar o Campeonato Brasileiro, em 1959.

A denominada "Taça Brasil" reuniu os campeões estaduais. O Hercílio Luz fez apenas duas partidas na primeira fase da competição e acabou eliminado. O adversário foi o Atlético Paranaense, em jogos de ida e volta.

O primeiro jogo foi realizado no dia 30 de agosto, no Aníbal Costa, em Tubarão. Os paranaenses venceram por 2 a 1 com gols de Tião e Gaivota. Luizinho descontou para o Hercílio. Na segunda partida, no dia 13 de setembro, no Joaquim Américo, em Curitiba, o Furacão venceu por 1 a 0 com gol de Péricles e avançou na competição.

Nos dois jogos, o Leão do Sul entrou em campo com Pipa, Adir (Mário) e Rato; Ernesto, Parafuso e Ernani; Galego, Camanga, Luizinho, Vitoldo e Gonzaga. O técnico da equipe tubaronense era Foguinho.

Jogadores do Hercílio antes da viagem para enfrentar o Atlético Paranaense, em Curitiba, pela Taça Brasil de 1959. Foto do acervo do jornalista e historiador César do Canto Machado (in memoriam), autor do livro "Hercílio Luz: Vida e Glória do Leão do Sul". Colorização: MyHeritage

Clique aqui e siga o perfil do Portal Infosul no Instagram.

Participe do grupo de WhatsApp do Portal Infosul e fique sempre atualizado do que acontece na região: https://chat.whatsapp.com/EhO3X1Z07wbEQ28ZrgkXvs