Fecam e Butantan formalizam parceria e CoronaVac deverá ser aplicada nos catarinenses

Foto: divulgação

Foi assinado na manhã desta quinta-feira, dia 10, o protocolo de intenções entre a Federação Catarinense de Municípios (Fecam) e o Instituto Butantan para que a instituição paulista forneça a vacina CoronaVac às cidades de Santa Catarina. A solenidade contou com a presença do governador de São Paulo, João Dória.

Além do presidente da Fecam, Paulo Roberto Weiss, outras lideranças catarinenses compareceram ao Instituto Butantan para acompanhar a formalização do termo, entre eles o prefeito de Imbituba, Rosenvaldo Junior.

A CORONAVAC

A CoronaVac é a potencial vacina contra a Covid-19 que está sendo produzida pelo Instituto Butantan, em São Paulo, junto com o laboratório chinês Sinovac. Anunciada pelo governador do Estado, João Doria, no dia 11 de junho, ela chegou ao Brasil já na fase 3 dos testes clínicos.

O resultado dos estudos relacionados à fase 3 de testes da CoronaVac no Brasil só devem sair após os 13 mil voluntários serem imunizados e pelo menos 61 pessoas terem contato com o vírus. A expectativa é que esse processo seja concluído até o dia 15 próximo.

Os testes da vacina são duplo-cego, ou seja, metade dos voluntários recebeu a CoronaVac e a outra metade recebeu placebo. Nem os médicos e nem os voluntários sabem qual dose foi aplicada. Quando os 61 infectados forem alcançados, os estudos vão ser abertos e vai ser possível analisar quantos dos que testaram positivo receberam a vacina. E é essa a porcentagem que vai indicar o nível de eficácia do imunizante — acima de 50% ela já se mostra muito eficiente, de acordo com cientistas.