Estudo aponta possíveis alternativas para aproveitamento da Casa da Cidade

Foto: reprodução

Um estudo feito pelo Sebrae e departamento de Economia Criativa da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Inovação de Tubarão, apontou uma série de alternativas para aproveitamento dos espaços internos da Casa da Cidade.

Reaberta no final de 2018 após uma reforma interna e externa, a Casa da Cidade abriga hoje o departamento de Economia Criativa. Outras iniciativas ou atividades poderiam ocupar os demais cômodos dos dois andares do prédio, segundo o estudo. O sótão, apesar de ter um espaço físico amplo, tem nas escadarias um obstáculo na acessibilidade que impede a utilização adequada do local.

O andar principal, segundo o estudo, poderia receber uma sala de exposição/apresentação da história da casa, uma coworking, sala de reuniões e sala para receber as reuniões da Academia Tubaronense de Letras (Acatul). No térreo, poderiam ser instalados um Centro de Informações Turísticas e atividades transitórias (oficinas e demais atividades dos criativos para o público externo).

Construído em 1897 para uso residencial da família do coronel João Cabral de Mello, prefeito de Tubarão entre 1890 e 1910, o imóvel já abrigou a prefeitura e outros órgãos públicos nas décadas seguintes. Em 1984, o local foi restaurado e tombado como patrimônio histórico e cultural do município, recebendo o nome de Casa Huberto Rohden.

Nos últimos anos a conhecida Casa da Cidade recebeu exposições de artesanato e serviu como a Casa do Papai Noel, mas em 2013 acabou fechada por causa das más condições de conservação do imóvel.