Educação ignora transparência em suposta tentativa de invasão a Centro de Educação Infantil

Foto: divulgação | PMT

Na última segunda-feira, dia 1º de agosto, pais e responsáveis das crianças matriculadas no Centro de Educação Infantil Álvaro Braz Fernandes, localizado no bairro Guarda Margem Esquerda, em Tubarão, foram surpreendidos com mensagens de redes sociais – não oficiais – de que um homem teria, supostamente, tentado invadir a instituição de ensino.

A Fundação Municipal de Educação (FME), entretanto, se manifestou publicamente sobre o caso somente no final do dia, dando margem para que uma série de versões populares se espalhassem nos aplicativos de mensagens.

Segundo essa Nota de Esclarecimento, nenhuma unidade escolar havia sido invadida naquele dia na Cidade Azul. “[...] ainda assim, a diretora do Centro de Educação Infantil Álvaro Braz Fernandes registrou um boletim de ocorrência no qual relatou as ameaças que chegaram ao seu conhecimento [...]. O parágrafo também destaca que a Polícia Militar (PM) chegou a interrogar o suspeito.

A versão oficial da FME não convenceu dezenas de pais e responsáveis. Um deles, reagiu com indignação ao que foi escrito oficialmente. “Esse homem vem fazendo ameaças desde antes das férias! Hoje ameaçou entrar novamente”, enfatizou ela. "Estão esperando ele cumprir o que está ameaçando pra acreditarem no que nós pais, a escola e os moradores estamos alertando e pedindo ajuda!”, desabafou a mãe.

Diante da história ainda controversa, ontem, terça-feira, dia 2 de agosto, a reportagem do site acionou a Educação Municipal para esclarecer o que de fato havia acontecido. A vice-presidente da pasta, Adriana Mariano da Rosa, confirmou parcialmente o boato e disse que um homem chegou a ser atendido pela direção escolar e por isso a diretora considerou registrar um Boletim de Ocorrência. Essa informação até então estava omitida na nota divulgada anteriormente.

Ao Portal Infosul, um dos agentes da PM disse não ter encontrado qualquer Boletim de Ocorrência sobre o fato. Desta forma, a reportagem procurou também a Guarda Municipal, que até o fechamento desta matéria não atendeu às ligações.

A reportagem insistiu nos questionamentos. Desta vez, solicitando informações do que fez a direção escolar suspeitar do homem e o que ele teria dito em depoimento à Polícia Militar. Após mais de seis horas de espera e com muita insistência da redação, Adriana explicou – por telefone – o que teria acontecido.

Segundo ela, o homem denunciado é dependente químico e sofre de problemas mentais. Anos atrás, inclusive, ele tinha parentes matriculados no Centro Infantil e que costumava levá-los com frequência até a unidade. Ela acredita que o suspeito tenha tido um surto psicótico e queria entrar na instituição por acreditar que tinha parentes lá dentro.

Diante da explicação, a reportagem do Portal Infosul se comprometeu em esclarecer a situação à população, para que notícias falsas não continuassem circulando. Adriana agradeceu e ainda se comprometeu em enviar o Boletim de Ocorrência à redação, mas isso não aconteceu.

O diretor-presidente da Fundação Municipal de Educação, Maurício da Silva, também foi acionado mas não retornou o contato. Ambos foram informados de que a matéria seria publicada mesmo sem o retorno deles diante das controvérsias.

O Portal Infosul segue aberto para a manifestação da Fundação Municipal de Educação de Tubarão.

Clique aqui e siga o perfil do Portal Infosul no Instagram.

Participe do grupo de WhatsApp do Portal Infosul e fique sempre atualizado do que acontece na região: https://chat.whatsapp.com/IXhqnkE5fa30TJd1Yu8IW7