1ª Vara Cível de Tubarão encerra mais um ano sem processos conclusos para sentença

Foto: reprodução

Apesar das centenas de processos novos que deram entrada em 2020, a 1ª Vara Cível da Comarca de Tubarão encerra o ano forense com um feito incomum: nenhum processo em gabinete. Como os dois anos anteriores já haviam terminado sem processos conclusos para sentença, a meta neste ano foi zerar também os que aguardavam despacho até o início do recesso.

Para o titular da unidade, o juiz Edir Josias Silveira Beck, não há propriamente um segredo para o fato alcançado. "Uma sentença judicial não deve ser confundida com um tratado ou uma monografia. Precisa analisar o caso com cuidado, de forma clara e objetiva, sem se exceder em citações doutrinárias ou jurisprudenciais desnecessárias", esclarece.

Na opinião do magistrado, a marca alcançada também se deve ao excelente trabalho de equipe. "O apoio da assessoria de gabinete, com destaque aos assessores Cleiton, Marina, Karina e Beatriz, que efetivamente 'vestem a camisa', aliado ao auxílio dos servidores do cartório e estagiários, permite a satisfação de encerrar o ano sem processos conclusos em gabinete", ressalta o juiz.

Para o assessor jurídico Cleiton Luiz Neves de Oliveira, da referida unidade, a análise processual deve centrar-se nos pontos verdadeiramente importantes ao caso em exame. "Apenas com empenho, objetividade e precisão é possível entregar respostas céleres e eficientes a sempre volumosa demanda judicial", afirma. ​